Pular para o conteúdo principal

VALE paralisa obra no PARÁ


Adiado Projeto de Onça Puma, no Pará, operação só em 2011



Os efeitos da crise internacional continuam a bater à porta da Vale, segunda maior mineradora mundial.


Semana passada a companhia anunciou mais um corte de produção, o quinto desde o final de outubro do ano passado.
Desta vez, o setor afetado foi o de níquel. Sob a alegação de um "cenário recessivo global", a companhia anunciou a paralisação da construção do Forno 2 em Ourilandia do Norte- PA .
O processamento de metais preciosos, um subproduto da mineração de níquel, também ficará parado entre 1º de junho e 27 de julho. A mina de Onça Puma terá capacidade para produzir anualmente 58 mil toneladas métricas de níquel. O primeiro ajuste na produção foi anunciado em outubro, com o corte de 30 milhões de toneladas de minério de ferro no País.


Em novembro, duas pelotizadoras no Espírito Santo tiveram suas atividades paralisadas. No mês seguinte, foi a vez de outras duas pelotizadoras, também no Espírito Santo, suspenderem suas atividades. Os cortes atingiram ainda uma subsidiária do grupo, a mineradora Samarco, que também parou suas operações em duas unidades de pelotização.


Analistas calculam que os cortes em pelotização corresponderam a 65% da capacidade produtiva da Vale no segmento. Preço em queda e forte derrocada do preço do níquel nos últimos meses é um dos fatores que explicam os novos cortes de produção no setor e também o adiamento do projeto Onça Puma. Há grande incerteza sobre o comportamento da demanda mundial por metais e minério de ferro, o que vem levando a companhia brasileira a adotar diversas medidas de redução de custos.


Além dos cortes de produção, a Vale demitiu em novembro 1,3 mil funcionários e colocou outros 5,5 mil em férias coletivas. Para evitar novas demissões, 15 sindicatos de trabalhadores ligados à mineradora aceitaram em fevereiro a proposta da companhia de flexibilizar as normas trabalhistas, o que permite a colocação de funcionários em licença remunerada com redução de 50% do salário. De fevereiro para cá, 440 funcionários já foram colocados em licença. O acordo fechado entre os sindicatos abrange 34 mil trabalhadores e tem validade até 31 de maio. Agora, diante ainda de um quadro de forte retração no setor, os sindicatos querem propor uma prorrogação do acordo. O presidente do Sindicato dos Ferroviários de Minas Gerais e Espírito Santos, João Batista Cavalieri, revela que a expectativa é de que outros 500 a 600 trabalhadores da região sejam colocados em licença remunerada nas próximas semanas. Segundo ele, os sindicatos tiveram uma reunião com os representantes da área de recursos humanos da Vale na última terça-feira para discutir a possibilidade de postergar o acordo. Um novo encontro está marcado para meados de maio."Nossa intenção é evitar demissões. Hoje, o cenário está muito incerto.


Em 2007, o níquel respondeu por 29,7% da receita da Vale. No ano passado, a cotação caiu de US$ 29 mil a tonelada na média do primeiro trimestre para US$ 10,9 mil a tonelada no último trimestre, encolhendo a participação do metal na receita bruta para 14,5%.

Comentários

Gedeon Campos disse…
Olá Monique!

Estava procurando informações sobre Ourilândia (distância entre Goiânia e sua cidade, e outras da mesma região) e acabei entrando em sua página por curiosidade. Gostei do que vi e li.

Moro em Aparecida de Goiânia, mas tenho um tio aí em sua cidade,um septuagenário de nome Jerônimo Moraes. Fiquei sabendo que ele construiu um sobradinho na cidade e vive parte do tempo na fazenda.

Tenho uma página na net e sou professor da área de Língua Portuguesa. Se quiser acessar www.blogdodeon.blogspot.com

Um abraço.

Gedeon Campos
Anônimo disse…
Olá, eu estou fora de Ourilândia desde de 2002, e atualmente estou concluindo minha faculdade de sistemas de informação na cidade de Palmas-TO. Meus familiares moram ai, talvez você ouviu falar deles...Marceone da EMATER, 'Professor' Carlito da Prefeitura, enfim. A idéia era concluir aqui e voltar, mas com essa notícia desanimei e lamento tudo. Gostei da notícia, aqui em Palmas tenho alguns colegas de Ourilânida também estudando e que estavam todos esperançosos com o projeto da Vale, a cidade melhorando e valorizando os bens.
Até.
Anônimo disse…
Olá Monique, gostei da noticia da vale.

Sou de Tucumã veja o meu site, postei esta notica lá. O site estava desativado a uns 8 meses agora ele esta de volta...

Quem sabe a gente se ve um horas dessas.

www.tucumanews.com.br

Abraços para vc...
Santini
Anônimo disse…
Cara jovem estou bem longe dai ipatinga mg
Para cada conquista existe um sacrificio
boa sorte ...
Animal de ipatinga
Unknown disse…
Oi Monique!acabei de ver seu blog,gostei muito logo se ver que voce é uma moça muito inteligente,agora queo ver se voce é uma moça bem informada,é o seguinte tenho um amigo que o ano passado estava atuando ai na vale de Ourilandia,matinhamos contanto,e até onde nus falamos estava tudo bem com ele,mais a de uns 6 meses pra cá,tive alguns contratempos,e tive que mudar meu endereço,e-mail e fone,desde então perdir o contato com ele.Pensei então se voce não poderia me ajudar encontra-lo,pois é muito importante para mim e minha familia,bom ele chama-se Leonardo Arantes,caso voce consiga,não comente com ele,Quero faser uma surpresa,obrigada ,,,Aparecida .A meu e-mail é,sempaciencia2@hotmail.com

Mensagem

Mensagem

Postagens mais visitadas deste blog

MINERAÇÃO ONÇA PUMA -OBRA 273 - OURILANDIA DO NORTE - PARÁ

MARÇO/2010 TRANSPORTADORES DE CORREIA -                VENTILADORES EM BAIXO DA GALERIA DREYER PRECIPITADORES SILOS DE PÓ, SILOS DE MINERIO SECO                                                                                                   CHAMINÉ GALPAO ESTOCAGEM DE EMERGENCIA DE MINERIO KILN LAVADOR DE GASES MÁQUINAS DE PÁTIO EMPILHADEIRA E RECUPERADORA MONTAGEM DO 4. PRECIPITADOR EM MONTAGEM PRECIPITADORES PRECIPITADORES SILOS DE PÓ, SILOS DE MINERIO SECO SISTEMA DE REFRIGERAÇÃO DE AGUA - ASPIRAL

CIRURGIA PARA VOLTAR A OUVIR - IMPLANTE COCLEAR

O MILAGRE DA AUDIÇÃO IMPLANTE COCLEAR OU "OUVIDO BIONICO" Crianças e adultos vítimas de surdez profunda e sem poder aquisitivo para bancar uma cirurgia corretiva podem ter esperanças de voltar a escutar. Basta que o implante coclear seja indicado para o seu tipo de problema. Isso por que o SUS (Sistema Único de Saúde) já oferece esse tipo de operação em hospitais de São Paulo, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Rio Grande do Norte. Desde 1990, 700 pessoas já foram beneficiadas. Em breve, o Rio de Janeiro também entrará na lista com o credenciamento do Hospital Gafrée e Guinle pelo Ministério da Saúde. A cirurgia é indicada para pessoas que não podem usar aparelhos auditivos convencionais.“É um procedimento de alta complexidade e o Sistema Único de Saúde arca com os todos os custos”, explica o Dr. Fernando Portinho, otorrinolaringologista, professor da Escola de Medicina da UNIRIO (Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro) e coordenador do projeto.O tratamento com

FAMILIA GUERARD, GHERARDI, GERARDI, GIRARDI

MINHA ÁRVORE GENEALÓGICA MEU NOME É MONIQUE, Meu tataravô ( LOURENÇO GHERARDI ) , minha tataravó ( ADELIA FERRAGATTI ) ele filho de ( LOURENÇO GHERARDI E DOROTEIA PERONO ), ela filha de ( GIACOMO FERRAGATTI E IRENE OZELIO) . meu bisavô materno ( LOURENçO FRANCISCO GHERARDI) e minha bisavó materna (VIRGINIA TAVARES ALBERGARIA GHERARDI ) , minha avó materna (ELZI GUERARDI NASCIMENTO) e meu avô materno (LUIZ GONZAGA DO NASCIMENTO), meus pais (MARIA DA GLORIA DO NASCIMENTO SOUZA e ADÃO HELIO DE SOUZA). Família Gerardi Em 06 de março de 1895 chegou ao porto de Santos, desembarcando do navio “ARNO” uma família vinda da região de Treviso, norte da Itália que se apresentou como  FAMÍLIA GIRARDI , mas por falha de grafia do oficial de registros da imigração o sobrenome passou a ser  GERARDI. Assim podemos considerar como origem da família o sobrenomeGIRARDI e a geração que que ficou no Estado de São Paulo, GERARDI. OLHA COMO É GRANDE A FAMILIA GUERARDI...  ESSES PARENTE