Pular para o conteúdo principal

ANIVERSÁRIO DA CIDADE DE PARACATU - 212 ANOS


Paracatu é uma cidade linda, e estamos gostando muito de morar aqui. Neste dia 20 de outubro completa 212 anos. Parabenizamos todos os paracatuenses e para comemorar com eles essa data tão especial vamos relembrar um pouquinho da sua história. PARABÉNS PARACATU!!!!!


A CIDADE DE PARACATU
Fonte:http://pt.wikipedia.org/wiki/Paracatu
 
Paracatu é um município brasileiro do estado de Minas Gerais. Sua população estimada em 2004 era de 81.599 habitantes. O nome significa "rio bom" em língua tupi
O antigo Arraial do Paracatu foi erguido em Vila por Alvará régio de D. Maria, Rainha de Portugal, de 20 de outubro de 1798, atendendo a consulta do Conselho Ultramarino. Pertencia à Comarca do Rio das Velhas com sede em Sabará e passou a denominar-se Vila do Paracatu do Príncipe. No mesmo alvará foi criado na vila o lugar de Juiz de Fora, Civil, Crime e Órfãos "com os ordenados e emolumentos que vence o Juiz de Fora de Marianna."
Por Carta régia de 4 de março de 1799 "Sua Majestade foi servida fazer Mercê ao Bacharel José Gregório de Moraes Navarro do lugar de Juiz de Fora" da villa de Paracatu, tomou pose em 14 de dezembro de 1799. A primeira Câmara Municipal foi empossada em 18 de dezembro de 1799 e dela faziam parte os vereadores sargento-mor Manuel José de Oliveira Guimarães, Francisco Dias Duarte, o capitão José da Silva Paranhos e o procurador da Câmara Luís José de Carvalho.
Segundo a Revista do Arquivo Público Mineiro no ano de 1800 a vila possuía ao todo 17.450 habitantes, destes 1.935 eram brancos, 6.335 mulatos livres, 3.637 eram negros livres, haviam ainda cativos 327 mulatos e 5.216 negros.
Ciro Cruz, ao confessar sua paixão pela cidade natal, designou-a "A Flor do Cerrado do Brasil Carnaval. Saudosos 'Seo' Gentil e Zé Bambau!"
Paracatu é conhecida na região não só por ser a maior cidade da região, mas também por ser o centro econômico e cultural na região. A cidade possui um centro comercial relativamente ativo, a região central histórica é menos ativa, e o centro hoje é mais ao norte, e no entorno da rodovia. Também a cidade recebe, e cada vez mais, estudantes de toda a região, seja para estudar na FINOMou na Faculdade Atenas, como, mais recentemente no IFTM campos de Paracatu. Isso tem levado a cidade á um crescimento maior que as outras da região. A cidade conta com o Aeroporto Municipal Pedro Rabelo de Sousa.



PROGRAMAÇÃO DO ANIVERSÁRIO :

FOTOS ANTIGAS DA CIDADE DE PARACATU

Fonte: http://alertaparacatu.blogspot.com/2007/11/fotos-do-paracatu-antigo.htm



 PRIMEIRA ATA DE APURAÇÃO DAS ELEIÇÕES EM PARACATU - 1927


FOTOS HISTÓRICAS DA CIDADE DE PARACATU 


Fonte: http://www.paracatuonline.com.br

CASA ONDE NASCEU O ESCRITOR AFONSO ARINOS



Escritor brasileiro nascido em 1º de maio de 1868, na cidade de Paracatu, Minas Gerais. Afonso Arinos de Melo Franco era filho de Virgílio de Melo Franco e de Ana Leopoldina de Melo. Estudou em Goiás, Rio de Janeiro, e cursou Direito em São Paulo. 





Desde jovem escrevia contos, após se formar advogado, foi morar em Ouro Preto, capital de Minas Gerais na época. Ajudou a fundar a Faculdade de Direito de Minas Gerais. 
Publicou textos, no fim do século XIX, na “Revista Brasil”, “Revista do Brasil”, e em 1897, assumiu o jornal “Comércio de São Paulo”. Em 1901, foi eleito sócio correspondente do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro.



Escreveu os livros “Pelo Sertão”, “Os jagunços”, “O Contratador de Diamantes”, “O mestre de Campo”, “Lendas e Tradições Brasileiras” e “Histórias e paisagens”. Foi empossado na Academia Brasileira de Letras em 18 de setembro de 1903. 


Faleceu em 19 de fevereiro de 1916, na cidade de Barcelona, Espanha.


SEMINÁRIO JOÃO XXII 
Paracatu é sede de Bispado, desde 14 de abril de 1962, quando a Prelazia Nullius foi elevada à categoria de Diocese, cuja instalação se deu em 16 de agosto. O Papa Pio XI, em 1º de março de 1929, foi quem criou a Prelazia, desmembrando-a dos territórios eclesiásticos de Montes Claros e de Uberaba. No entanto, a Paróquia de Santo Antônio, cuja igreja sede hoje é a Catedral, foi criada por provisão de D. Francisco Xavier Aranha, Bispo de Olinda (Pernambuco), em 08 de fevereiro de 1755. A paróquia ficou subordinada à circuncisão de esclisiástica de Olinda até o ano de 1854, quando se criou a Diocese de Diamantina, tornando-se sua subalterna.

A Diocese de Paracatu é uma das componentes da Arquidiocese Metropolitana de Brasília. Antiga sede da Fazenda Papuda, trata-se de um prédio de dois pavimentos, datado do século XIX. Localiza-se à margem direita do Córrego Rico. Foi propriedade de José Martins Ferreira, avô paterno de Afonso Arinos. Ao mundo, há um belo buritizal. Está bastante ligado à infância do introdutor do regionalismo literário brasileiro. Foi adquirido pela Mitra Diocesana e lá se instalou o Seminário Diocesano João XXIII.




SEMINÁRIO JOÃO XXII 
Paracatu é sede de Bispado, desde 14 de abril de 1962, quando a Prelazia Nullius foi elevada à categoria de Diocese, cuja instalação se deu em 16 de agosto. O Papa Pio XI, em 1º de março de 1929, foi quem criou a Prelazia, desmembrando-a dos territórios eclesiásticos de Montes Claros e de Uberaba. No entanto, a Paróquia de Santo Antônio, cuja igreja sede hoje é a Catedral, foi criada por provisão de D. Francisco Xavier Aranha, Bispo de Olinda (Pernambuco), em 08 de fevereiro de 1755. A paróquia ficou subordinada à circuncisão de esclisiástica de Olinda até o ano de 1854, quando se criou a Diocese de Diamantina, tornando-se sua subalterna.

A Diocese de Paracatu é uma das componentes da Arquidiocese Metropolitana de Brasília. Antiga sede da Fazenda Papuda, trata-se de um prédio de dois pavimentos, datado do século XIX. Localiza-se à margem direita do Córrego Rico. Foi propriedade de José Martins Ferreira, avô paterno de Afonso Arinos. Ao mundo, há um belo buritizal. Está bastante ligado à infância do introdutor do regionalismo literário brasileiro. Foi adquirido pela Mitra Diocesana e lá se instalou o Seminário Diocesano João XXIII.




CHAFARIZ DA TRAIANA

Tributo barroco colonial do artista Fábio Ferrer à cidade de Paracatu. Homenageia em especial o período colonial do século XVIII, onde a cidade vivia a efervecência do ouro. O conjunto arquitetônico concebido é uma obra sobretudo, com espírito barroco. O chafariz da Traiana possui no alto da obra, uma mulata  escrava, que a história conta que percorria os becos despertando desejos nos fidalgos.



O chafariz com caracterísitcas simples, é também uma homenagem á outros chafarizes que existiam na cidade e que foram destruídos. A data no escudo, 1798, destaca a oficialização da elevação a Vila de Paracatu do Príncipe, por Dona Maria, a Rainha da corte portuguesa. Para completar, através de uma carranca, a bica d´água de uma antiga mina da cidade faz borrifar na terra a benção, assim como nos tempos dos tropeiros. O Passo da Paixão, singela capela da via sacra, homenageia a descoberta do ouro na região em 1744, época que já existia o Arraial de Sant´Ana e São Luiz, depois elevado à Vila. No Passo, a pintura no teto em flande têmpera, gema de ovo com pigmentações, realizado por Fábio Ferrer, reluz o estilo barroco do Chafariz. A pintura da parede é da artista Maria do Céu e as esculturas dos tocheiros em cedro são de Hugo Martins, artistas natos de Paracatu. Nas pedras capistanos e catumbés, o tempo passou, mas deixou a marca de uma época que o próprio estilo barroco insinua e que jamais será apagada de nossa memória: "Libertas quae sera tamem".


CASA DA CULTURA














Bela Construção, cuja origem precisa é desconhecida. Foi construída para residência nas primeiras décadas do sécujo XIX. Em 26 de fevereiro de 1908, foi adquirida através de compra e doação (por alguns dos herdeiros) pela Câmara Municipal. Lá funcionou o primeiro Grupo Escolar da Cidade, o "Afonso Arinos" e, posteriormente, a Escola Normal Oficial. O patrimônio foi revertido ao Município, através da lei 1.891/93, de 29 de junho de 1993, quando foi instituída a Fundação Municipal Casa de Cultura. 

Atualmente, a Casa de Cultura sedia alguns dos movimentos culturais de maior importância da Cidade e ainda expõe trabalhos de grande beleza e importância artística. Alí são realizadas exposições, shows, cursos de pintura, artesanatos em geral, apresentação de grupos folclóricos, etc

Comentários

Boa Noite,

Minha familia é de Paracatu, Roquete, meu querido Pai Antonio da Conceição Roquete, projetava filmes na cidade e era funcionário do DNER, será que você encontraria fotos dele? ele também era da liga católica Paracatuense e jogava no time da liga.

Um forte abraço de um Brasiliense mais Paracatuense que tudo.

Mário Roquete

mroquete@hotmail.com
Max Botelho disse…
Boa tarde, Monique,
Fiquei muito feliz por vê-la divulgar de forma tão simpática a minha amada Paracatu.
Gostei muito do seu artigo, principalmente por ser historiador e paracatuense. Um grande
abraço e, quando puder, visite meu blog www.arraialdoouro.blogsopt.com.br.
Max Botelho

Mensagem

Mensagem

Postagens mais visitadas deste blog

TATUAGEM NATURAL QUE DURA 5 ANOS

ADOREI ESSA NOVIDADE

Ontem aprendi com uma coordenadora da escola uma coisa super legal. Ela me contou que na sua adolescencia fez uma tatuagem natural que durou 5 anos!!!





Isso mesmo!!! Aqui nessa região eles usam um líquido da castanha do Caju para fazer tatuagem. Fica por 5 anos e depois desaparece.
Funciona dessa maneira . . .
A castanha contém um óleo-resina cáustica, conhecido como LCC (líquido da castanha de caju). A composição do LCC é principalmente de ácido anacárdico, cardol (11,31%) e seus derivados. Dentro da castanha é que se encontra a amêndoa oleaginosa, comestível, conhecida e comercializada como castanha de caju.

O LCC causa forte irritação na pele, deixando cicatrizes quase indeléveis que jovens usam para fazer um tipo primitivo de tatuagem. O LCC espesso é de cor escura, tem uso popular para verrugas, calos, edemas, manchas na pele e tecidos de neoformação.

O uso em estado fresco do fruto (castanha) pode provocar lesões na pele, pois é terrivelmente cáustico. Quando as …

BIOGRAFIA RICARDO NUNES - O DONO DA RICARDO ELETRO

UMA HISTÓRIA EMOCIONANTE E VITORIOSA

Hoje eu quero comentar uma história de vida que assisti no Caldeirão do Huck nessa semana. Foi a história de mais um mineiro que acreditou no seu sonho, lutou muito e hoje é um vencedor, sem contudo perder a humildade.


O nome dessa pessoa que aprendi a admirar é Ricardo Nunes.

RICARDO nasceu em Divinópolis - Minas Gerais, em menos de duas décadas, Nunes partiu do ponto zero -- zero mesmo -- para tornar-se dono de uma das dez maiores redes de lojas de varejo do país. Sua trajetória empreendedora começou cedo e teve profunda influência de seu pai, um comerciante de bijuterias. "Meu pai morreu quando eu era criança", diz Nunes, o segundo de quatro filhos. Aos 12 anos após perder o pai Ricardo tinha que ajudar a mãe a cuidar dos irmãos, e por isso começou a vender as mexericas do sitio.
Ia vender perto das escolas e descobriu que gritando, vendia mais. Logo começaram a aparecer outras crianças vendendo perto dele, e então ele aprendeu que precis…

"O Aplicativo Launcher (com.wmt.launcher) parou inesperadamente. Tente novamente" Como resolver esse problema.

Amigos, ha uns dias o Tablet do meu filho começou a aparecer essa mensagem: "O Aplicativo Launcher (com.wmt.launcher) parou inesperadamente. Tente novamente" Clicava na única opção: "Forçar fechamento". Ele fecha a mensagem e ela tornava a aparecer. E isso se repetia. Levei em técnicos de informática e fui informada que deveria procurar as lojas especializadas em celular. Que a unica opção seria reinstalar o sistema Android e que o preço ficaria em mais ou menos 120,00. 
Depois de muito pesquisar encontrei a solução e relativamente fácil. 
Logo ao ligar você recebe a mensagem, então clica em tente novamente e rapidamente para zerar as infos do Launcher, clique no lado esquerdo da tela, ícone de uma casa e fique com o dedo em cima segurando ate aparecer algo, clique em running task, clique em all ,click no icone de casa vermelha "LAUNCHER", clique em limpar dados, ok. Pronto! Espero que ajude!
Funcionou perfeitamente. Uma economia significativa não é... tá n…