Pular para o conteúdo principal

MIP ENGENHARIA OBRA 277, USINA DA VSB

Fonte:  Informativo MIP, ano 03, n.10 Julho, Agosto e Setembro 2010

A Usina da VSB, situada no município de Jeceaba, irá produzir 600 mil toneladas de tubos de aço, sem costura por ano para o setor petrolífero mundial. O escopo da MIP, na construção da VSB, compreende a montagem eletromecânica da Aciaria Elétrica e Lingotamento Contínuo. A obra teve seu início em 25/05/2010 e as principais atividades já desenvolvidas são:

  • Montagem da torre de giro da panela;
  • Solda na carcaça do forno;
  • Montagem dos extratores;
  • Pré-Montagem da Chaminé;
  • Pré-Montagem e montagem do filtro de manga;
  • Montagem dos headers principais, Fila B e C.


VSB EM JECEABA

Fonte:http://www.diariodocomercio.com.brwww.vstubos.com


Foto: Jornal Hoje em dia online
A unidade de aciaria da VSB será a primeira do Brasil a utilizar o Sistema Consteel, um conjunto de equipamentos que aumenta a produtividade e reduz o consumo de energia elétrica. O aparato realiza o carregamento contínuo do material no forno, reduzindo o tempo da produção do aço.

A aciaria terá capacidade de produção de 1 milhão de toneladas de aço bruto ao ano, das quais 700 mil toneladas serão utilizadas para a fabricação de 600 mil toneladas de tubos de aço sem costura/ano, que serão divididas igualmente entre a Sumitomo e a Vallourec. As 100 mil toneladas restantes serão recicladas dentro do ciclo produtivo, retornando ao forno elétrico e dando origem a 300 mil toneladas de aço bruto em barras lingotadas para o grupo Vallourec.

A construção da usina está estruturada em quatro grandes áreas: área comum, área energética e utilidades, aciaria e altos-fornos e laminação e rosqueamento. O
start up das operações da planta está previsto para este semestre. As atividades devem entrar em plena operação até o final de 2011.

A construção civil da laminação já atingiu 80 mil metros cúbicos de concreto, o que equivale a 64% dos 125 mil metros cúbicos previstos, e já permite a utilização da estrutura metálica dos prédios e equipamentos. Conforme a assessoria de comunicação do grupo, 22 guindastes de grande porte, alguns com capacidade de içamento superior a 400 toneladas, foram usados para a montagem de 11,5 mil toneladas da estrutura.

Na laminação, a produção será de 600 mil toneladas de tubos de aço sem costura ao ano. O laminador de tubos PQF, da sigla em inglês 
premium quality finishing, assim como o sistema de estocagem de tubos automatizada através de cassetes, é considerado o diferencial na usina. Os tubos serão desenvolvidos com a medida entre 6 polegadas e 16 polegadas de diâmetro externo.
Mercado externo - De acordo com a companhia, os tubos terão alto valor agregado e mais de 90% da produção será destinada somente para exportação, atendendo à demanda do setor de óleo e gás. Apesar de a empresa não confirmar, fontes de mercado acreditam que a VSB pode mudar a estratégia, voltando maior parte da produção para o mercado doméstico em função da demanda prevista para o pré-sal.

Atualmente, 70 mil metros quadrados da edificação foram cobertos, o que permite a continuação dos trabalhos de montagem eletromecânica dos equipamentos nacionais e importados. Com o avanço da estrutura metálica, seis pontes rolantes foram montadas e cinco já estão em operação. As maiores vigas - cada ponte é composta por duas - possuem 47 metros de cumprimento, três metros de altura e pesam, juntas, aproximadamente 200 toneladas.

Na área de energia e utilidades, a subestação principal está concluída e em fase de testes e energização, bem como a linha de transmissão que conduzirá a energia a ser consumida pelo empreendimento. A linha de gás natural está finalizada, testada e pronta para operar. A fábrica que fornecerá o oxigênio também foi concluída, mas ainda passará por testes.

Ainda segundo informações da VSB, a empresa conta com cerca de 7 mil empregados prestadores de serviços. Do total, cerca de 50% são moradores da região onde a planta está sendo instalada. Ao todo, o complexo irá gerar aproximadamente 1,5 mil empregos diretos e 1,5 mil indiretos quando estiver em funcionamento.

RESPONSABILIDADE AMBIENTAL

A atuação da VSB em Jeceaba (MG) e região está pautada na responsabilidade socioambiental. Para isso, a Empresa adotou os conceitos mais modernos de sustentabilidade para nortear o seu relacionamento com os empregados, o meio ambiente e seus vizinhos.


A VSB vai plantar um cinturão verde de 100 metros de largura ao redor de todo o perímetro do Distrito Industrial de Jeceaba. O projeto, construído com recursos financeiros da joint venture, engloba não só a área da usina, mas também a de futuros empreendimentos. O plantio vai possibilitar a revegetação de uma vasta área local já degradada pela exploração rural ali existente.

Programas sociais voltados para promover a melhoria da qualidade de vida das pessoas e programas educacionais que estimulam a geração de renda serão contemplados pela política de responsabilidade social da VSB. Ela contemplará empregados da usina e familiares, prestadores de serviços, parceiros e comunidades vizinhas. O critério de seleção das ações levará em conta a verba disponível e o perfil de cada público.

Comentários

Mensagem

Mensagem

Postagens mais visitadas deste blog

Bodas de Rosas - 17 anos de Casamento

Meu amor, hoje estamos de parabéns e celebrando 17 anos de união. Foi diante de Deus que prometemos amor e fidelidade e é diante d'Ele que todos os dias honramos nossas promessas e esta linda união por Ele abençoada. Com você e nosso filho a vida é o mais apaixonante dos desafios, e não existem obstáculos difíceis demais ou impossíveis de ultrapassar. A Deus agradeço a incrível bênção que recebi no dia em que conheci você e em nossos corações nasceu a chama do amor mais puro e sincero. Que nosso caminho seja longo e maravilhoso e que em cada novo dia juntos renovemos os bons sentimentos em nossos corações. Que Deus nos conceda muitos anos de vida compartilhada e que entre nossa família, sempre reinem a harmonia, a amizade, o companheirismo e o amor, como até agora. Eu te amo, muito!

BIOGRAFIA RICARDO NUNES - O DONO DA RICARDO ELETRO

UMA HISTÓRIA EMOCIONANTE E VITORIOSA

Hoje eu quero comentar uma história de vida que assisti no Caldeirão do Huck nessa semana. Foi a história de mais um mineiro que acreditou no seu sonho, lutou muito e hoje é um vencedor, sem contudo perder a humildade.


O nome dessa pessoa que aprendi a admirar é Ricardo Nunes.

RICARDO nasceu em Divinópolis - Minas Gerais, em menos de duas décadas, Nunes partiu do ponto zero -- zero mesmo -- para tornar-se dono de uma das dez maiores redes de lojas de varejo do país. Sua trajetória empreendedora começou cedo e teve profunda influência de seu pai, um comerciante de bijuterias. "Meu pai morreu quando eu era criança", diz Nunes, o segundo de quatro filhos. Aos 12 anos após perder o pai Ricardo tinha que ajudar a mãe a cuidar dos irmãos, e por isso começou a vender as mexericas do sitio.
Ia vender perto das escolas e descobriu que gritando, vendia mais. Logo começaram a aparecer outras crianças vendendo perto dele, e então ele aprendeu que precis…

TATUAGEM NATURAL QUE DURA 5 ANOS

ADOREI ESSA NOVIDADE

Ontem aprendi com uma coordenadora da escola uma coisa super legal. Ela me contou que na sua adolescencia fez uma tatuagem natural que durou 5 anos!!!





Isso mesmo!!! Aqui nessa região eles usam um líquido da castanha do Caju para fazer tatuagem. Fica por 5 anos e depois desaparece.
Funciona dessa maneira . . .
A castanha contém um óleo-resina cáustica, conhecido como LCC (líquido da castanha de caju). A composição do LCC é principalmente de ácido anacárdico, cardol (11,31%) e seus derivados. Dentro da castanha é que se encontra a amêndoa oleaginosa, comestível, conhecida e comercializada como castanha de caju.

O LCC causa forte irritação na pele, deixando cicatrizes quase indeléveis que jovens usam para fazer um tipo primitivo de tatuagem. O LCC espesso é de cor escura, tem uso popular para verrugas, calos, edemas, manchas na pele e tecidos de neoformação.

O uso em estado fresco do fruto (castanha) pode provocar lesões na pele, pois é terrivelmente cáustico. Quando as …