Pular para o conteúdo principal

VISITANDO O CENTRO HISTÓRICO DE PARACATU

O Tombamento do Centro Histórico de Paracatu, cidade da região noroeste de Minas, foi aprovado pelo Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural. A proposta de inclusão do local na lista do Patrimônio Cultural Brasileiro partiu do Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional).

Segundo o Iphan, Paracatu se destaca pelo valor histórico e pela localização estratégica. Na época do Ciclo do Ouro, a cidade era ponto de convergência dos diversos caminhos que ligavam os litorais de Bahia, Pernambuco e Rio de Janeiro até Minas Gerais e a outras partes do país.

Em Paracatu foram encontradas as últimas jazidas de ouro no Estado, quando o ciclo estava chegando ao fim, o que fez com que o município conquistasse importância no cenário nacional. 

O Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural, que avalia os processos de tombamento e registro, é formado por 22 conselheiros de instituições como Ministério do Turismo, Instituto dos Arquitetos do Brasil, Sociedade de Arqueologia Brasileira e Ministério da Educação.


Centro histórico de Paracatu é exemplo de cuidado e beleza

A pequena vila cresceu, virou cidade, desenvolveu. O cenário de um vilarejo onde as pessoas ainda se reuniam nas calçadas para conversar, deu lugar a um turbilhão de novidades.  No entanto, Paracatu ainda tem algo a compartilhar com seus moradores e visitantes. É algo que conta sua história, remonta seu passado, deixa um gostinho dos tempos da monarquia.

O Centro histórico de Paracatu encanta a todos pela sua conservação e beleza. O passar do tempo não foi suficiente para colocar abaixo anos e anos de história e cultura. No seu 212º aniversário, o presente é contar com a consciência de cada morador que, o mais importante, é proteger e zelar por esse patrimônio.

São casarões, becos de pedra, igrejas e uma série de outros objetos em exposição no museu municipal. Essa cidade de gente hospitaleira, de cultura forte e de riquezas, continua irradiando sua tradição e deixando seu marco no tempo.

  




 












 




  

  


 

 

 


 

 

 


Fotos: Monique

Comentários

Mensagem

Mensagem

Postagens mais visitadas deste blog

MINERAÇÃO ONÇA PUMA -OBRA 273 - OURILANDIA DO NORTE - PARÁ

MARÇO/2010 TRANSPORTADORES DE CORREIA -                VENTILADORES EM BAIXO DA GALERIA DREYER PRECIPITADORES SILOS DE PÓ, SILOS DE MINERIO SECO                                                                                                   CHAMINÉ GALPAO ESTOCAGEM DE EMERGENCIA DE MINERIO KILN LAVADOR DE GASES MÁQUINAS DE PÁTIO EMPILHADEIRA E RECUPERADORA MONTAGEM DO 4. PRECIPITADOR EM MONTAGEM PRECIPITADORES PRECIPITADORES SILOS DE PÓ, SILOS DE MINERIO SECO SISTEMA DE REFRIGERAÇÃO DE AGUA - ASPIRAL

CIRURGIA PARA VOLTAR A OUVIR - IMPLANTE COCLEAR

O MILAGRE DA AUDIÇÃO IMPLANTE COCLEAR OU "OUVIDO BIONICO" Crianças e adultos vítimas de surdez profunda e sem poder aquisitivo para bancar uma cirurgia corretiva podem ter esperanças de voltar a escutar. Basta que o implante coclear seja indicado para o seu tipo de problema. Isso por que o SUS (Sistema Único de Saúde) já oferece esse tipo de operação em hospitais de São Paulo, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Rio Grande do Norte. Desde 1990, 700 pessoas já foram beneficiadas. Em breve, o Rio de Janeiro também entrará na lista com o credenciamento do Hospital Gafrée e Guinle pelo Ministério da Saúde. A cirurgia é indicada para pessoas que não podem usar aparelhos auditivos convencionais.“É um procedimento de alta complexidade e o Sistema Único de Saúde arca com os todos os custos”, explica o Dr. Fernando Portinho, otorrinolaringologista, professor da Escola de Medicina da UNIRIO (Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro) e coordenador do projeto.O tratamento com

FAMILIA GUERARD, GHERARDI, GERARDI, GIRARDI

MINHA ÁRVORE GENEALÓGICA MEU NOME É MONIQUE, Meu tataravô ( LOURENÇO GHERARDI ) , minha tataravó ( ADELIA FERRAGATTI ) ele filho de ( LOURENÇO GHERARDI E DOROTEIA PERONO ), ela filha de ( GIACOMO FERRAGATTI E IRENE OZELIO) . meu bisavô materno ( LOURENçO FRANCISCO GHERARDI) e minha bisavó materna (VIRGINIA TAVARES ALBERGARIA GHERARDI ) , minha avó materna (ELZI GUERARDI NASCIMENTO) e meu avô materno (LUIZ GONZAGA DO NASCIMENTO), meus pais (MARIA DA GLORIA DO NASCIMENTO SOUZA e ADÃO HELIO DE SOUZA). Família Gerardi Em 06 de março de 1895 chegou ao porto de Santos, desembarcando do navio “ARNO” uma família vinda da região de Treviso, norte da Itália que se apresentou como  FAMÍLIA GIRARDI , mas por falha de grafia do oficial de registros da imigração o sobrenome passou a ser  GERARDI. Assim podemos considerar como origem da família o sobrenomeGIRARDI e a geração que que ficou no Estado de São Paulo, GERARDI. OLHA COMO É GRANDE A FAMILIA GUERARDI...  ESSES PARENTE