Pular para o conteúdo principal

A IMPORTÂNCIA DO FEEDBACK

A muitos anos, fala-se sobre esse assunto, mas ainda hoje, encontramos dentro das organizações a falta de um feedback eficaz, ou, como alguns autores gostam de chamar a falta de um feedback produtivo.

O feedback é um retorno que damos a uma pessoa ou grupo no sentido de lhe fornecer informações sobre como a sua atuação está afetando outras pessoas e o negocio da organização. Mas para que ele seja eficaz ou produtivo, ele tem que ser capaz de ajudar o individuo ( ou grupo) a melhorar o seu desempenho e assim alcançar as suas metas e objetivos.

Não podemos nos esquecer que o feedback é vital para qualquer organização empenhada em sua própria melhoria, pois este é o único modo de saber o que precisa ser melhorado.

Fonte: Informativo MIP, Ano 03, n.10 – Julho, Agosto e Setembro 2010


_____________________________________________________________________________________________



O FEEDBACK

Você costuma dar feedback para seus pares, chefes ou subordinados? Afinal, você sabe o que é feedback? Feedback é uma palavra inglesa, um termo da eletrônica traduzida em português por realimentação ou retroalimentação.
No processo de desenvolvimento da competência interpessoal, feedback é um método que auxilia no processo de mudança de comportamento, ou seja, é a comunicação entre uma pessoa ou um grupo no sentindo de fornecer-lhe informações sobre sua performance na organização.

È importante que os profissionais quando recebem um feedback, não apenas entendam as suas dicas sobre o que fazer para melhorar o desempenho profissional, mas também as coloque em prática. Muitos executivos não gostam de dar feedback, pois temem que os comentários bem intencionados sejam vistos como críticas pessoais e, por isso, evitam apontar falhas, questionar esforços e atitudes individuais. Esqueça isso!

Profissionais eficientes devem dar feedback todos os dias. Isso significa distribuir elogios merecidos, observações neutras e até um aviso mais sério. O ideal é que os aspectos positivos se sobreponham a todos os outros, afinal ninguém esquece os elogios recebidos. Elogie sempre que surgir oportunidade e não guarde seus comentários apenas para poucos momentos de brilho ou resultados excepcionais.

Quando o feedback é do tipo construtivo, é importante explicar aos colaboradores os seus altos padrões de desempenho. O efeito dessa abordagem é mais eficiente do que simplesmente chegar e dizer: "Há algo que você está fazendo errado e precisa mudar".
Quase todo mundo tem expectativa de ser avaliado, deixe a equipe comunicar-se livremente através de sugestões, idéias e ressalvas. Deixe as pessoas a par do próprio desempenho e incentive-as a melhorar. Use o método de três etapas para tornar o feedback o mais produtivo possível:

  • Convide os colaboradores a se auto-avaliarem: Escolha uma tarefa e deixa que a própria equipe avalie o seu trabalho de acordo com uma escala do tipo 1-10. Muitas pessoas são rigorosas quando julgam a si mesmas, ainda que exagerem nos resultados você terá uma base para começar a avaliação.
  • Faça follow-up: Peça que os profissionais expliquem ou dêem exemplos para justificar sua nota na auto-avaliação.
  • Ajuste sua análise com comentário deles: Agora que você deu chance para que os membros da sua equipe se auto-avaliassem, é a sua vez "Gostaria de acrescentar algo ao que você disse". Comece dando feedback sobre o que eles deixaram escapar, reforce as informações positivas apresentadas e termine com um elogio, para manter o clima otimista.

Lembre-se de que os elogios podem ocorrer face a face, por e-mail, através de um cartão ou até mesmo em pequenas lembranças, mas independente da forma, perderá todo o seu encanto se for repetido freqüentemente. Para produzir os efeitos desejados, o elogio precisa ser específico e sincero. E não se esqueça que a crítica sempre deverá ocorrer em particular.

______________________________________________________________________________________________

LEMBRE-SE SEMPRE





Para tornar-se um processo realmente útil, o feedback precisa ser tanto quanto possível:  



  • Descritivo [e não avaliativo]
  • Específico [e não geral]: 
  • Compatível com as necessidades de ambos
  • Dirigido [para o comportamento que o receptor possa modificar]
  • Solicitado [e não imposto]
  • Oportuno [preferencialmente após o fato, mas tendo também em conta o estado emocional das partes
  • Esclarecedor
    Deve-se pensar no feedback como forma de melhoria de comunicação com o receptor e seus objetivos, sendo que, para se elaborar um bom feed-back, é fundamental tomar alguns cuidados básicos:

    • Não utilizar o processo de feedback como desabafo, agressão, não reagir à resistência do receptor com mais pressão, pois isto só gera conflito e não constrói nada.
    • Tentar perceber se a pessoa está preparada para ouvir naquele momento o feedback.
    • É preciso atentar para estes aspectos de nula ou fraca prontidão receptiva, que constituem verdadeiros bloqueios à comunicação inter pessoal.

    Comentários

    Mensagem

    Mensagem

    Postagens mais visitadas deste blog

    MINERAÇÃO ONÇA PUMA -OBRA 273 - OURILANDIA DO NORTE - PARÁ

    MARÇO/2010 TRANSPORTADORES DE CORREIA -                VENTILADORES EM BAIXO DA GALERIA DREYER PRECIPITADORES SILOS DE PÓ, SILOS DE MINERIO SECO                                                                                                   CHAMINÉ GALPAO ESTOCAGEM DE EMERGENCIA DE MINERIO KILN LAVADOR DE GASES MÁQUINAS DE PÁTIO EMPILHADEIRA E RECUPERADORA MONTAGEM DO 4. PRECIPITADOR EM MONTAGEM PRECIPITADORES PRECIPITADORES SILOS DE PÓ, SILOS DE MINERIO SECO SISTEMA DE REFRIGERAÇÃO DE AGUA - ASPIRAL

    CIRURGIA PARA VOLTAR A OUVIR - IMPLANTE COCLEAR

    O MILAGRE DA AUDIÇÃO IMPLANTE COCLEAR OU "OUVIDO BIONICO" Crianças e adultos vítimas de surdez profunda e sem poder aquisitivo para bancar uma cirurgia corretiva podem ter esperanças de voltar a escutar. Basta que o implante coclear seja indicado para o seu tipo de problema. Isso por que o SUS (Sistema Único de Saúde) já oferece esse tipo de operação em hospitais de São Paulo, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Rio Grande do Norte. Desde 1990, 700 pessoas já foram beneficiadas. Em breve, o Rio de Janeiro também entrará na lista com o credenciamento do Hospital Gafrée e Guinle pelo Ministério da Saúde. A cirurgia é indicada para pessoas que não podem usar aparelhos auditivos convencionais.“É um procedimento de alta complexidade e o Sistema Único de Saúde arca com os todos os custos”, explica o Dr. Fernando Portinho, otorrinolaringologista, professor da Escola de Medicina da UNIRIO (Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro) e coordenador do projeto.O tratamento com

    FAMILIA GUERARD, GHERARDI, GERARDI, GIRARDI

    MINHA ÁRVORE GENEALÓGICA MEU NOME É MONIQUE, Meu tataravô ( LOURENÇO GHERARDI ) , minha tataravó ( ADELIA FERRAGATTI ) ele filho de ( LOURENÇO GHERARDI E DOROTEIA PERONO ), ela filha de ( GIACOMO FERRAGATTI E IRENE OZELIO) . meu bisavô materno ( LOURENçO FRANCISCO GHERARDI) e minha bisavó materna (VIRGINIA TAVARES ALBERGARIA GHERARDI ) , minha avó materna (ELZI GUERARDI NASCIMENTO) e meu avô materno (LUIZ GONZAGA DO NASCIMENTO), meus pais (MARIA DA GLORIA DO NASCIMENTO SOUZA e ADÃO HELIO DE SOUZA). Família Gerardi Em 06 de março de 1895 chegou ao porto de Santos, desembarcando do navio “ARNO” uma família vinda da região de Treviso, norte da Itália que se apresentou como  FAMÍLIA GIRARDI , mas por falha de grafia do oficial de registros da imigração o sobrenome passou a ser  GERARDI. Assim podemos considerar como origem da família o sobrenomeGIRARDI e a geração que que ficou no Estado de São Paulo, GERARDI. OLHA COMO É GRANDE A FAMILIA GUERARDI...  ESSES PARENTE