Pular para o conteúdo principal

ORGANIZAÇÃO - EU ME IMPORTO - SEJA UMA PESSOA ORGANIZADA NA EMPRESA E NA VIDA

Aconteceu em uma empresa. Nem muito grande, nem muito pequena.  O gerente chegou pela manhã e encontrou, esquecido frente à porta de entrada, um balde.  Não era um balde especial, não havia nele nenhuma marca. Um balde plástico, desses utilizados para limpeza.  

Era evidente que uma das responsáveis pela limpeza, o esquecera ali. 

Porque o balde dificultasse o acesso à entrada, o gerente o levou para dentro e colocou em um canto da sala de recepção.  Chamou uma das serventes e perguntou: este balde é seu?  A moça, desconfiada, olhou e disse com firmeza: não. É o que Maria utiliza na limpeza.  Obrigado, falou o gerente. 

E chamou outra servente, fazendo a mesma pergunta. E outra.  A resposta de cada uma foi a mesma. Não era seu o balde.  E por não ser seu, o balde continuou no mesmo local onde fora colocado pelo gerente.  Finalmente, a quarta servente olhou o objeto, disse que não era seu, não fora ela que o esquecera ali.  Mas, resoluta, sem esperar qualquer ordem, pegou o balde e o foi colocar no seu devido lugar. 

Um simples balde. Quanto tempo perdido! 

Muitas vezes, agimos assim. Encontramos coisas fora do lugar, mas porque não nos pertencem, as deixamos ali.  Isso ocorre em casa, no ambiente de trabalho, na escola, na rua.  E seria tão simples e rápido colocar no lugar. 

Desviar do objeto em vez de retirá-lo de onde se encontra indevidamente, ou procurar o "culpado", requer muito mais esforço.  Enquanto persistirmos nessa posição de não fui eu e portanto não tenho nada com isso, o mundo não se tornará melhor.  Imaginemos o dia em que todos nos importarmos com as pequenas coisas. 

Não haverá mais roupas fora do lugar, em nossos lares. Cada um procurará guardar o que é seu. E se alguma coisa, por acaso, ficar esquecida, o primeiro que chegar a colocará em seu devido lugar. 

A pia não ficará tão cheia de pratos, copos e panelas porque quem primeiro chegar, providenciará a lavagem e a devolução às prateleiras e armários. Nosso ambiente de trabalho se tornará um lugar de mútua cooperação e todas as tarefas acontecerão de forma mais eficiente e rápida.  Ninguém buscará saber quem esqueceu determinado material sobre a mesa ou o balcão. Simplesmente o apanhará e devolverá no local devido. Quem precisar, sempre saberá onde encontrar.  Os computadores serão desligados ao final do dia. As luzes apagadas nas salas que não estão sendo utilizadas.  Na rua, não haverá latas e papéis jogados. Tudo será colocado nas lixeiras. 

Mas, na hipótese do vento trazer lixo de algum lugar, quem passar primeiro, o recolherá e porá na lixeira.  Todo motorista estacionará de forma correta seu veículo, ocupando o exato espaço que necessita. Dessa forma, haverá mais vagas disponíveis para quem precise estacionar. 

Assim, serão evitadas filas duplas indevidas, carros dificultando passagem de pedestres.  As praças estarão sempre bonitas porque limpas.  Se alguém esquecer um copo, uma garrafa, um papel, sempre haverá outro alguém que se importa e providenciará a imediata retirada. 

Esse mundo ideal que pensamos e desejamos não é o do futuro distante.  Ele pode começar amanhã, bastando apenas que cada um de nós inicie a campanha do eu me importo com isso. E aja. 

Vamos todos começar hoje?

Comentários

Mensagem

Mensagem

Postagens mais visitadas deste blog

MINERAÇÃO ONÇA PUMA -OBRA 273 - OURILANDIA DO NORTE - PARÁ

MARÇO/2010 TRANSPORTADORES DE CORREIA -                VENTILADORES EM BAIXO DA GALERIA DREYER PRECIPITADORES SILOS DE PÓ, SILOS DE MINERIO SECO                                                                                                   CHAMINÉ GALPAO ESTOCAGEM DE EMERGENCIA DE MINERIO KILN LAVADOR DE GASES MÁQUINAS DE PÁTIO EMPILHADEIRA E RECUPERADORA MONTAGEM DO 4. PRECIPITADOR EM MONTAGEM PRECIPITADORES PRECIPITADORES SILOS DE PÓ, SILOS DE MINERIO SECO SISTEMA DE REFRIGERAÇÃO DE AGUA - ASPIRAL

CIRURGIA PARA VOLTAR A OUVIR - IMPLANTE COCLEAR

O MILAGRE DA AUDIÇÃO IMPLANTE COCLEAR OU "OUVIDO BIONICO" Crianças e adultos vítimas de surdez profunda e sem poder aquisitivo para bancar uma cirurgia corretiva podem ter esperanças de voltar a escutar. Basta que o implante coclear seja indicado para o seu tipo de problema. Isso por que o SUS (Sistema Único de Saúde) já oferece esse tipo de operação em hospitais de São Paulo, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Rio Grande do Norte. Desde 1990, 700 pessoas já foram beneficiadas. Em breve, o Rio de Janeiro também entrará na lista com o credenciamento do Hospital Gafrée e Guinle pelo Ministério da Saúde. A cirurgia é indicada para pessoas que não podem usar aparelhos auditivos convencionais.“É um procedimento de alta complexidade e o Sistema Único de Saúde arca com os todos os custos”, explica o Dr. Fernando Portinho, otorrinolaringologista, professor da Escola de Medicina da UNIRIO (Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro) e coordenador do projeto.O tratamento com

FAMILIA GUERARD, GHERARDI, GERARDI, GIRARDI

MINHA ÁRVORE GENEALÓGICA MEU NOME É MONIQUE, Meu tataravô ( LOURENÇO GHERARDI ) , minha tataravó ( ADELIA FERRAGATTI ) ele filho de ( LOURENÇO GHERARDI E DOROTEIA PERONO ), ela filha de ( GIACOMO FERRAGATTI E IRENE OZELIO) . meu bisavô materno ( LOURENçO FRANCISCO GHERARDI) e minha bisavó materna (VIRGINIA TAVARES ALBERGARIA GHERARDI ) , minha avó materna (ELZI GUERARDI NASCIMENTO) e meu avô materno (LUIZ GONZAGA DO NASCIMENTO), meus pais (MARIA DA GLORIA DO NASCIMENTO SOUZA e ADÃO HELIO DE SOUZA). Família Gerardi Em 06 de março de 1895 chegou ao porto de Santos, desembarcando do navio “ARNO” uma família vinda da região de Treviso, norte da Itália que se apresentou como  FAMÍLIA GIRARDI , mas por falha de grafia do oficial de registros da imigração o sobrenome passou a ser  GERARDI. Assim podemos considerar como origem da família o sobrenomeGIRARDI e a geração que que ficou no Estado de São Paulo, GERARDI. OLHA COMO É GRANDE A FAMILIA GUERARDI...  ESSES PARENTE