Pular para o conteúdo principal

LEI DA PALMADA - LEI MENINO BERNARDO

Bom dia amigos, tenho recebido muitas mensagens por e-mail para dar minha opinião como mãe e educadora sobre essa lei.  Bom, primeiramente devo dizer que sou totalmente contra agressões. Já ouvi de tudo, que quem não castiga o filho depois vai buscá-lo na cadeia, que bater faz parte de educar, que umas palmadas não doem.... 

Mas devo dizer que não concordo com nada disso, e sabem porque? Porque se vocês pesquisarem em uma cadeia, vão ver que todos os que estão presos já apanharam e muito. Se for nas clinicas de reabilitação poderão constatar que todos já receberam castigos severos de seus pais....e aí a pergunta é simples, o que faltou a todos eles? Uma palavra pequena mas com tanto significado AMOR. Não que os pais ou a família não o amassem. Mas não conseguiram expressar esse amor. 

Muitos vão me dizer, mas se você mimar demais, não corrigir a criança não aprende. Também concordo. Só que sou a favor do dizer NÃO mas mostrar o PORQUÊ.  Educar dá trabalho. E a maioria dos pais não está disposto a ter este trabalho. É mais fácil bater, dar umas palmadas, gritar, fazer barulho, do que PARAR... OLHAR NOS OLHOS, EXPLICAR O MOTIVO, MOSTRAR EXEMPLOS. A frase mais sábia que já ouvi foi : "As palavras convencem mas os exemplos arrastam."

Por exemplo: Quando nosso filho tinha 6 anos ele acendeu um palito de fosforo e colocou no varal, queimou o dedinho... eu poderia ter dado um tapa na mão e pronto. Mas preferi o método mais eficaz e trabalhoso. Procurei na cidade onde eu morava uma pessoa com queimaduras graves e pedi a gentileza de mostrar para ele o que tinha acontecido... na hora ele chorou muito, me abraçou e jamais voltou a fazer nada parecido. Hoje ele com 14 anos já prepara algumas de suas refeições mas sempre com cuidado, é o primeiro a preocupar em verificar o gás antes de acender uma lampada, antes de sair de casa, etc.

Na entrada da adolescência ao invés de dizer  que se ele experimentasse bebida, cigarro ou drogas eu o colocaria pra fora de casa ou lhe daria uma surra, levei ele para conversar com pessoas que estavam em tratamento contra o uso das drogas, para ele ver onde isso leva as pessoas, a reação que provoca e tudo o que elas perderam... 

Outra coisa que constatei com minhas pesquisas: Vocês que neste momento estão lendo este texto e me criticando... coloquem bem a mão na consciência e façam um teste simples, mas tem que ser sincero(a) com você mesmo.... "Você acorda, a pessoa que você mais ama te diz que te ama, você vai para o trabalho e recebe uma promoção, o transito está uma maravilha, enfim teve um dia maravilhoso chega em casa e seu filho(a) desenhou na sua parede nova uma coisa pra você.... qual a sua reação? Bom, você pode chamar a atenção dele, mas tudo bem, seu dia tá ótimo e a parede dá pra limpar.  Agora imagina o contrário... você acordou e brigou com o seu companheiro(a) que chegou fora do horário, foi para o trabalho o pneu furou, levou a maior bronca do seu patrão pelo atraso, na volta tudo congestionado, chegou em casa e encontrou seu filho(a) desenhando na parede, o que você faz? Vai bater, vai gritar, enfim... sua intensão na verdade não é a de educar mas ele(a) vai acabar sendo sua válvula de escape. Isso pra mim não é educação.

As pessoas dizem que estão educando como uma desculpa para a própria consciência . Aí outro dia eu ouvi uma pessoa me dizer: "Eu quero que quando ele crescer lembre-se das palmadas que levou e que o pai o educou". Me desculpe mas não quero que meu filho no futuro lembre de mim deste jeito. Quero que lembre-se de como foi amado. Lembre-se que os pais dele dariam a vida por ele se necessário. 

Educar é preciso, aqui em casa sempre seguimos as técnicas de uma super educadora no meu ponto de vista que é a Supernanny. Estabelecemos limites, olhando sempre nos olhos, punindo sem violência, e premiando sempre as vitórias. Isso é outro ponto que acho super importante, muitos pais acham que só deve corrigir as falhas e que acertar é mais que obrigação, e não  é assim. Somos humanos e adoramos ser elogiados, isso acontece com as crianças. Elas gostam de chamar a atenção dos pais, gostam de ser notados e quando fazem alguma coisa certo e são elogiados vão fazer ainda melhor porque o elogio traz uma sensação muito prazerosa e nos traz a necessidade até física de senti-la novamente. 

Agora a palmada... bom na verdade acho que ela ensina muita coisa sim. E a primeira delas é que para não ganhar outra palmada o ideal é fazer escondido da próxima vez.

Comentários

Mensagem

Mensagem

Postagens mais visitadas deste blog

MINERAÇÃO ONÇA PUMA -OBRA 273 - OURILANDIA DO NORTE - PARÁ

MARÇO/2010 TRANSPORTADORES DE CORREIA -                VENTILADORES EM BAIXO DA GALERIA DREYER PRECIPITADORES SILOS DE PÓ, SILOS DE MINERIO SECO                                                                                                   CHAMINÉ GALPAO ESTOCAGEM DE EMERGENCIA DE MINERIO KILN LAVADOR DE GASES MÁQUINAS DE PÁTIO EMPILHADEIRA E RECUPERADORA MONTAGEM DO 4. PRECIPITADOR EM MONTAGEM PRECIPITADORES PRECIPITADORES SILOS DE PÓ, SILOS DE MINERIO SECO SISTEMA DE REFRIGERAÇÃO DE AGUA - ASPIRAL

CIRURGIA PARA VOLTAR A OUVIR - IMPLANTE COCLEAR

O MILAGRE DA AUDIÇÃO IMPLANTE COCLEAR OU "OUVIDO BIONICO" Crianças e adultos vítimas de surdez profunda e sem poder aquisitivo para bancar uma cirurgia corretiva podem ter esperanças de voltar a escutar. Basta que o implante coclear seja indicado para o seu tipo de problema. Isso por que o SUS (Sistema Único de Saúde) já oferece esse tipo de operação em hospitais de São Paulo, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Rio Grande do Norte. Desde 1990, 700 pessoas já foram beneficiadas. Em breve, o Rio de Janeiro também entrará na lista com o credenciamento do Hospital Gafrée e Guinle pelo Ministério da Saúde. A cirurgia é indicada para pessoas que não podem usar aparelhos auditivos convencionais.“É um procedimento de alta complexidade e o Sistema Único de Saúde arca com os todos os custos”, explica o Dr. Fernando Portinho, otorrinolaringologista, professor da Escola de Medicina da UNIRIO (Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro) e coordenador do projeto.O tratamento com

FAMILIA GUERARD, GHERARDI, GERARDI, GIRARDI

MINHA ÁRVORE GENEALÓGICA MEU NOME É MONIQUE, Meu tataravô ( LOURENÇO GHERARDI ) , minha tataravó ( ADELIA FERRAGATTI ) ele filho de ( LOURENÇO GHERARDI E DOROTEIA PERONO ), ela filha de ( GIACOMO FERRAGATTI E IRENE OZELIO) . meu bisavô materno ( LOURENçO FRANCISCO GHERARDI) e minha bisavó materna (VIRGINIA TAVARES ALBERGARIA GHERARDI ) , minha avó materna (ELZI GUERARDI NASCIMENTO) e meu avô materno (LUIZ GONZAGA DO NASCIMENTO), meus pais (MARIA DA GLORIA DO NASCIMENTO SOUZA e ADÃO HELIO DE SOUZA). Família Gerardi Em 06 de março de 1895 chegou ao porto de Santos, desembarcando do navio “ARNO” uma família vinda da região de Treviso, norte da Itália que se apresentou como  FAMÍLIA GIRARDI , mas por falha de grafia do oficial de registros da imigração o sobrenome passou a ser  GERARDI. Assim podemos considerar como origem da família o sobrenomeGIRARDI e a geração que que ficou no Estado de São Paulo, GERARDI. OLHA COMO É GRANDE A FAMILIA GUERARDI...  ESSES PARENTE